Notícias

A geometria do carro preserva o veículo

Por Filtros Tecfil | 6 de janeiro de 2021

Dirigir com segurança é importante, e, para isso, é preciso fazer a revisão do veículo dentro das datas estipuladas. O alinhamento – também chamado de geometria do carro – está entre as necessidades a serem vistas durante a revisão. Se necessário, a geometria do carro pode ser feita antes, caso haja batidas e desgaste dos pneus, por exemplo.

Não é somente nas revisões obrigatórias que é necessário fazer a geometria do veículo. Diversos diversos fatores podem alterar o alinhamento e provocar o desgaste prematuro das peças.

Se a suspensão não estiver de acordo com os graus, essa irregularidade pode causar danos nos componentes da suspensão, aumentar o consumo de combustível, além de reduzir a estabilidade e segurança nas retas e curvas.

A geometria, também é conhecida como alinhamento, é um processo cuja finalidade é ajustar os ângulos das rodas do veículo, fazendo com que elas fiquem retas em relação ao solo e paralelas entre si.

Para o carro ter bom desempenho e estabilidade, as medidas devem estar de acordo com os termos estipulados pelo fabricante. Quando existe alteração, a dirigibilidade é afetada, e o carro pode puxar para um lado ou para o outro.Há três tipos de alinhamento: o óptico, o eletrônico computadorizado e o 3D. No alinhamento óptico, são usados canhões de luz que, presos às rodas, projetam um feixe em um painel à frente, permitindo a visualização do desalinhamento. No eletrônico computadorizado, por sua vez, a luz é trocada por um laser, proporcionando maior exatidão na medida. E, finalmente, o mais preciso é o alinhamento 3D: um sensor que lê a posição de um refletor instalado nas rodas e mostra na tela de um computador um desenho tridimensional com todas as irregularidades dos padrões estipulados pela fábrica.

O que é a Geometria do carro?

O alinhamento ou geometria veicular é o desenho formado pelas quatro rodas, que deve formar um retângulo perfeito. Cada modelo de carro tem suas medidas específicas de alinhamento para a suspensão.

É o alinhamento que permite a estabilidade e controle ao dirigir. Ele é projetado para absorver impactos de forma eficiente, e baseia-se nos ângulos do Câmber e Caster.

  • Ângulo Câmber: é a inclinação ou convergência das rodas, ou seja, a distância entre as partes superior e inferior da roda. É positivo quando a parte superior da roda está inclinada para fora, e negativo se está para dentro. Grosso modo, o câmber é responsável pelo rolamento das rodas.
Geometria do carro: ângulo câmber

Ângulo Caster: é o ângulo entre o pino mestre e o eixo imaginário vertical, que passa pelo centro da roda do veículo. O caster faz o veículo andar em linha reta sem que o motorista precise se esforçar; portanto, é esse o ângulo que dá estabilidade e firmeza.

Geometria do carro: Ângulo Caster

Como é feita a geometria veicular?

A geometria é o alinhamento da suspensão dianteira do veículo. Durante o processo, utiliza-se uma máquina específica, além de se fazer medições precisas em milímetros e graus para verificar a distância entre os eixos do veículo, caster e câmber, de modo que as rodas fiquem alinhadas e formem um retângulo.

A geometria é fundamental, pois a suspensão dianteira é um sistema adaptável, projetado para absorver impactos de forma eficaz. Como ela não é rígida pode acabar perdendo os pontos de fixação quando o carro passa por buracos e irregularidades nas vias. A geometria corrige isso.

Geometria do carro: alinhamento de suspensão

O que causa desalinhamento?

O uso cotidiano do carro já faz com que o alinhamento seja afetado; como a suspensão é flexível, as imperfeições das vias podem originar esse desgaste. Esse problema, no entanto, será analisado e corrigido durante as revisões periódicas.

Colisões, buracos, lombadas e acidentes podem desalinhar o carro, e, então, será necessário fazer a geometria do carro fora das revisões.

Geometria do carro: O que causa o desalinhamento do carro

A geometria é indicada nas seguintes situações:

  • Acidente ou colisão com um obstáculo
  • Impactos fortes com um buraco
  • Depois de trocar pneus 
  • Se os pneus apresentarem um desgaste desigual
  • Ao substituir algum elemento da suspensão ou da direção
  • Quando o veículo está instável e “puxando” mais para um lado ou o motorista estiver com dificuldade para manter a trajetória
  • A cada 10 mil quilômetros rodados, ou nas manutenções indicadas pelo fabricante do veículo

Quando devo fazer a geometria veicular?

Para saber a hora de realizar a geometria do carro, preste atenção aos detalhes abaixo:

  • Desgaste excessivo ou irregular dos pneus
  • Perda de desempenho em velocidades mais altas
  • Dificuldade em manter a trajetória
  • Carro o carro “puxando” para um lado
  • Pneus não respondendo bem às manobras
  • Consumo elevado de combustível
  • Trepidações incomuns
  • Direção pesada

Quais são os benefícios de fazer a geometria veicular? Esse procedimento é importante para o desempenho adequado do veículo, pois garante mais conforto, estabilidade e segurança. O processo faz com que a suspensão absorva de forma correta as irregularidades da via e aumente a vida útil dos pneus, evitando o desgaste precoce e desigual deles.

Fora a segurança, o proprietário do veículo economiza. Com a geometria feita corretamente, o carro pode ganhar de 25% a 60% na vida útil dos pneus e poupar até 10% no consumo de combustível.

Qual a importância da geometria para o carro?

Rodas desalinhadas, além de desgastarem mais os pneus e fazer o carro consumir mais combustível, tiram a estabilidade do veículo. Um veículo instável, pesado e de difícil condução aumenta as chances de acidente. Por esse motivo, é importante se atentar aos indícios que o carro dá de que está na hora de fazer a geometria.

Qual a diferença entre balanceamento e geometria?

Algumas pessoas confundem balanceamento com alinhamento, mas saiba: são duas coisas diferentes com finalidades distintas. O balanceamento é feito nas rodas do veículo, com máquinas específicas para isso, cuja função é impedir que a roda não oscile ou trema enquanto o carro está andando.

Já a geometria tem como finalidade ajustar os ângulos formados com o solo e entre si para que o carro consiga trafegar em linha reta. Para isso, todos os componentes da suspensão dianteira são submetidos ao procedimento.

balanceamento dos pneus

Por que o balanceamento é importante?

Não fazer o balanceamento nas rodas da frente e de trás podem causar vibrações ou trepidações no volante, no piso do carro e nos assentos em diferentes faixas de velocidade.

O balanceamento garante mais conforto não apenas ao condutor, mas também aos passageiros que o acompanham, além de influenciar diretamente no funcionamento dos pneus.

Por que fazer balanceamento e geometria?

Como sabemos, são dois procedimentos distintos, mas complementares e igualmente importantes para o carro. Normalmente, eles são realizados no momento da revisão. Fazer a geometria e o balanceamento é importante para prolongar a vida útil dos pneus, amortecedores e rolamentos.

Consequentemente, evita-se problemas nessas peças no futuro, além de manter uma boa dirigibilidade, sem trepidações e sem que o carro fique pendendo para um lado ou para outro.

Aconselha-se realizar ambos procedimentos a cada 8 mil quilômetros rodados. No entanto, a depender da frequência que o carro é usado ou dos lugares por onde ele transita, podem ser feitos antes.

Como era feito o alinhamento antes das máquinas?

Antigamente, quando não haviam máquinas e computadores que medem e ajustam os ângulos com precisão, o alinhamento dos carros era feito no olho com um barbante ou pedaço de corda.

O método consistia em deixar o volante reto e amarrar um barbante de ponta a ponta, paralelamente às rodas, e ir aos poucos ajustando o braço de direção manualmente, girando no sentido horário ou anti-horário para fazer com que a roda abrisse ou fechasse.

Com o avanço tecnológico, o método caiu em desuso, embora hoje algumas pessoas ainda lancem mão desse recurso para alinhar seus carros em casa. Evidentemente, a precisão não é boa e, apesar de parecer que está reto, caso se submeta o veículo alinhado dessa forma a uma máquina especializada, é provável que se irregularidades sejam constatadas.

Geometria do carro

O que é possível fazer para evitar o desgaste dos pneus?

As peças mais afetadas quando o balanceamento ou a geometria do carro não estão certas são os pneus. Eles sofrem grande desgaste, pois, nas curvas, uma parte tem mais contato com o solo do que outra; assim, ambas recebem cargas de peso em pontos diferentes.

Além do óbvio, que seria realizar o balanceamento e a geometria veicular para corrigir estes problemas, é possível fazer o rodízio dos pneus para conservá-los um pouco mais.

O rodízio dos pneus consiste em trocar os pneus dianteiros pelos traseiros depois de mais ou menos 8 mil quilômetros rodados, a mesma quilometragem recomendada para o balanceamento e a geometria do carro.

  • Tags

Matérias relacionadas

Ir para página de notícias

Receba as novidades no seu e-mail